Crime e sofisticação


O belga Peter Ustinov, no papel de Hercule Poirot, em 1978 / Reprodução

Em 1978, John Guillermin fez a primeira adaptação para o cinema de Morte no Nilo, um dos melhores romances policiais de Agatha Christie (1890-1976) – segundo a própria. Quem somos nós para duvidar! Publicado em 1937, a obra é um bom apanhado das vicissitudes humanas, aí inclusas as sociais e políticas. Tirando-se alguns aspectos do estilo meio burocrático, da chamada construção dos personagens, de sobrenomes meio chatos, super vale a leitura do livro e o deleite com o filme, de 44 anos atrás, antes de relaxar na poltrona para ver a versão de Kenneth Branagh.