Com quadro indefinido, Fortaleza vive sob apreensão das pesquisas

Da Coluna Erivaldo Carvalho, do jornal O Otimista, desta segunda/26

Pesquisas da semana poderão apontar tendências e movimentos decisivos da disputa / divulgação

A menos de três semanas do resultado do primeiro turno eleitoral, não dá para dizer que entramos no momento decisivo da campanha eleitoral. Com raríssimas exceções, o período crítico é, sempre, o trecho depois da última curva, na cabeceira da reta final. Ou seja, a poucos dias da votação. Particularmente, em Fortaleza, onde o quadro, na cotação do dia, sugere que o próximo prefeito sairá do trio que vem pontuando em dois dígitos nas pesquisas de intenção de voto desde o início: Capitão Wagner (Pros), Luizianne Lins (PT) e José Sarto (PDT). E só. Nem a dupla que irá ao segundo turno dá para cravar.

São três grupos experientes, estruturados, com talentos políticos em cada um deles muito acima da média, com líderes nacionais consolidados e conhecedores do tabuleiro do jogo. Além de – não menos importante -, se conhecerem de verões passados. Mesmo isso considerado, porém, esta semana vem com a expectativa de apreensão, por conta de mais uma rodada de pesquisas. No caso, Datafolha e Instituto Paraná. Estaremos diante de um divisor de águas, porque para muito além da “fotografia do momento”, será possível comparar índices com a mesma metodologia, com tendências e movimentos. Tremei.

Assembleia Legislativa aprova ensino de empreendedorismo no ensino médio do Estado do Ceará

Deputado Tadeu Oliveira, sobre o projeto de lei aprovado: despertar talentos e reduzir evasão escolar / Paulo Rocha /Agência ALCE

De autoria do deputado Tadeu Oliveira (PSB), o projeto de lei que institui a disciplina de empreendedorismo como atividade complementar no ensino médio nas escolas públicas do Estado do Ceará foi aprovada esta semana pela Assembleia Legislativa.

Esse projeto é visto como uma forma de colocar a semente do empreendedorismo na mente e no coração dos jovens estudantes da escola pública, criando a cultura do empreendedorismo na juventude do nosso Estado.


“A disciplina vai despertar talentos. Os jovens estudantes aprenderão a criar sua própria empresa ou se destacar nas empresas onde trabalham”
, destaca o parlamentar. Além disso, observa o deputado Tadeu, os alunos poderão ser multiplicadores, na família e entre amigos, do conhecimento adquirido na escola.

A matéria escolar funcionará dentro do Programa Estadual Educação Empreendedora e Inovadora. Prevista para acontecer em turno complementar – para não alterar as aulas regulares -, a disciplina poderá ser ensinada através de aulas, palestras, dinâmicas e excursões, entre outras possibilidades.

Tadeu Oliveira destaca ainda, como benefício direto da implantação do programa de empreendedorismo e inovação, a redução da evasão escolar.

“O programa cria um ambiente dinâmico para os nossos alunos. A juventude escolar quer esse dinamismo”, pontuou. O projeto aprovado segue para sanção do governador Camilo Santana.

Pelo projeto aprovado, o Estado poderá realizar parcerias com instituições ligadas ao empreendedorismo, empresariado, comércio, indústria e formação de jovens, de maneira a fortalecer o programa.

As atividades realizadas no programa poderão ser anexadas ao currículo escolar do jovem, contando, inclusive, para horas de atividades complementares necessárias para formação.

Esperteza política e ignorância: dois subprodutos da pandemia

Procura e oferta: preço de teste foi às alturas, depois baixou – menos para algumas gestões públicas / publicação

Já é notório que a calamidade pública, justificada pela covid-19, foi transformada, particularmente no Brasil, não somente em moeda e palanque na disputa político-eleitoral. Também está sendo uma espécie de usina para desvio de dinheiro público. Sob o escudo da inexigibilidade de licitação, gestores – se é que são -, de vários níveis e tamanhos, ficaram menos constrangidos em se locupletar às custas da maior tragédia humana da presente era. Mas se engana quem imagina que a malversação acontece somente na aquisição de equipamentos caros e complexos. Pelo contrário – e com as exceções de sempre.

Dando o devido desconto por estarmos em período eleitoral – onde tudo é ampliado -, pipocam em inúmeros estados e municípios denúncias de superfaturamento no pagamento de testagem para o novo coronavírus. Grosso modo, o esquema funcionaria assim: no auge da pandemia, o preço médio do procedimento furou o teto de qualquer decência. Foi a alturas inimagináveis. Quando a demanda foi estabilizada pela alta oferta, não houve redução nos custos outrora desembolsados. Assim, o poder público segue pagando, no pior cenário, até três vezes o valor cobrado na farmácia da esquina mais próxima.

Da arte de seguir na contramão do bom senso
Não foi somente a esperteza deles de cada dia que a pandemia fez brotar no meio político. Aqui e ali, a santa ignorância dá o ar da graça. Nesta quinta-feira (22), na Assembleia Legislativa, acreditem, havia deputados defendendo a flexibilização do uso da máscara – principal barreira física contra contaminação pelo coronavírus. Logo agora, quando estamos apreensivos sobre uma possível segunda onda de covid-19. Através de emenda a um projeto que estava sendo votado, o parlamentar foi à última instância da Casa, o plenário, onde, felizmente, foi derrotado pelos pares.

O poderoso Senado e o espetáculo escabroso que macula sua história

Da Coluna Erivaldo Carvalho, d o jorna O Otimista, desta segunda/19:

Plenário do Senado da República: importância na vida do País não condiz com desvio de seus integrantes/Jonas Pereira – Agência Senado

Apesar de a campanha eleitoral ganhar corpo nos rincões de todo o País, esvaziando plenários parlamentares Brasil afora, o Senado Federal começa a semana com uma pesada agenda de sabatinas e votações de nomes indicados para o Supremo Tribunal Federal (STF) e Tribunal de Contas da União (TCU); para quatro diretorias da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e um diretor da Comissão de Valores Mobiliários. Alguns assumirão mandatos vitalícios. Outros desempenharão suas atribuições por tempo determinado. Em comum, têm a autonomia para decidir e a responsabilidade do impacto sobre a vida de milhões de brasileiros, quer na seara da justiça (STF), saúde (Anvisa) ou econômica (CVM).

Essa é somente uma pequena amostra do poder que tem um senador, a quem também cabe processar e julgar o presidente da República, autorizar empréstimos externos para estados e municípios, e uma série de outras funções, compartilhadas com os deputados federais ou de competência exclusiva. Tão importantes são que o mandato é de oito anos  – o único entre os eleitos pelo voto popular. Por tudo isso e muito mais, é proporcionalmente chocante o espetáculo escabroso que um dos representantes de Roraima na Casa, Chico Rodrigues (DEM), protagonizou, escondendo dinheiro na cueca numa batida da Polícia Federal. Sob todos os aspectos, é um episódio triste, que macula a história do Senado da República.

Sob holofotes, Élcio enfatiza ser elo entre PMF e Governo do Estado

Da Coluna Erivaldo Carvalho, do jornal O Otimista, desta sexta/16:

88Candidato a vice-prefeito de Fortaleza atuou nas gestões Roberto Cláudio e Camilo Santana

Escalado para ser coadjuvante na campanha do candidato a prefeito José Sarto (PDT), o nome a vice, Élcio Batista (PSB) foi empurrado para os holofotes, por força da quarentena imposta ao titular, que se recupera da covid-19. É difícil medir e pesar o bônus e o ônus de uma situação tão atípica. Mas dá para perceber que a exposição do sociólogo à intensa agenda da corrida eleitoral em Fortaleza tem mais acertos do que erros. Particularmente, quando é explorado o óbvio, muitas vezes esquecido: o histórico de atuação de Élcio, tanto na gestão Roberto Cláudio (PDT) quanto na administração Camilo Santana (PT).

Foi o que aconteceu na propaganda de TV da coligação governista. Élcio enfatizou a soma de forças entre Prefeitura e Estado para gerar parcerias. O que mais pesou, politicamente, no entanto, foi o fato, lembrado pelo candidato a vice-prefeito, de ele ter sido secretário de juventude da gestão municipal e chefe de Gabinete e da Casa Civil do governo Camilo Santana. Esse é o ponto. Num palanque eletrônico no qual o bem avaliado governador não pode subir e a participação do prefeito tem limites, Élcio representou o elo que, com Sarto fora do isolamento, talvez não fosse cogitado ou não teria tanto peso.

TrendsCE realiza webinário com Hitendra Patel, consultor referência em inovação

Evento será transmitido pelo Youtube

Logo mais às 19h desta quinta/15, a plataforma TrendsCE promove webinário com o consultor Hitendra Patel, com o tema “Soluções além de 2m de distância”.

Patel é CEO e fundador da empresa de consultoria IXL Center.

Presente em 12 países, a IXL Center é referência mundial para inovação e crescimento de negócios.

São mais de 200 clientes globais atendidos, a exemplo da NASA, Disney, P&G, Natura e Havaianas, além de governos, ONG’s e universidades.

No Ceará, a consultoria vem desenvolvendo edições do Programa 10X, criado para acelerar o crescimento de empresas locais.

O webinário será transmitido pelo Youtube.

Crime organizado, a mais nociva das ameaças ao jogo democrático

Da Coluna Erivaldo Carvalho, do jornal O Otimista, desta quarta/14:

Criminalidade e política: mais violência, corrupção e deterioração da democracia / Imagem de internet

Desde a pré-campanha, este colunista vem chamando a atenção do Ministério Público Eleitoral para dois grandes desafios: a aplicação dos protocolos sanitários quanto ao novo coronavírus e o risco que as fake news trazem ao jogo democrático. No primeiro caso, está claro que se faz necessário mais rigidez na fiscalização e força nas sanções. No segundo, o pior ainda está por vir – na reta final da disputa, quando o vale-tudo de difamações costuma entrar em campo. A terceira situação adversa, não menos importante, é a participação do crime organizado na guerra para eleger prefeitos e vereadores.

Entenda-se “guerra” no sentido literal. Trata-se de territórios proibidos em municípios grandes, médios e pequenos, em que a população/eleitorado são reféns do tráfico, milícias e falsos líderes. Nessa espécie de estado paralelo, onde a banda boa da polícia não chega e a Justiça Eleitoral muito menos, imagina-se como são escolhidos os candidatos e quem pode fazer campanha na comunidade. Mais onipresente do que se pensa e as autoridades possam admitir, a criminalidade na política é a mais nociva das ameaças, de onde só se espera violência, corrupção e deterioração da democracia.

Luizianne e Sarto: eleitorado semelhante e confronto direto

O perfil do eleitor de Fortaleza com intenção de votar no candidato José Sarto (PDT) é mais semelhante ao de Luizianne Lins (PT) do que os que pretendem optar por Capitão Wagner (Pros).

A constatação está na pesquisa divulgada nesta segunda/12, pelo Instituto Paraná.

Mais detalhes da sondagem podem ser conferidos aqui, aqui e aqui.

De acordo com os dados, Capitão Wagner pontua melhor no eleitorado masculino mais jovem, de baixa escolaridade e da faixa populacional economicamente ativa.

O candidato do Pros vai perdendo força à medida em que a idade e a escolaridade do eleitor avançam.

Veja a imagem abaixo:

Fonte: Instituto Paraná

Já Luizianne e Sarto oscilam tanto entre as faixas etárias quanto de escolaridade, e apresentam pelo menos três semelhanças

A petista e o pedetista aparecem melhor nas faixas eleitorais a partir de 45 anos de idade e entre quem tem ensino médio completo ou incompleto.

Ambos também são melhores fora da faixa eleitoral da população economicamente ativa.

O que isso significa, supondo que Capitão, teoricamente, já esteja com o passaporte carimbado para o segundo turno?

Simples.

Que o candidato do PDT, que já esperava por uma disputa com Luizianne pela segunda vaga no segundo turno, agora, com eleitores semelhantes, sabe que o confronto será ainda mais direto.

Forram entrevistados 740 eleitores, entre os dias 9 e 11 de outubro.

A pesquisa foi registrada no TSE sob o número CE-07388/2020.

Três categorias de candidato disputam a Prefeitura de Fortaleza

Capitão, Luizianne e Sarto formam o grupo de elite com reais chances de vitória / Montagem sobre Imagens de Internet

Realizada e bancada pelo Instituto Paraná, a primeira pesquisa de intenção de voto para suceder o prefeito Roberto Cláudio (PDT) mostra o seguinte cenário:

ESPONTÂNEA (não são apresentados nomes dos candidatos aos entrevistados)

Não sabe: 58,8%
Ninguém: 11,4%
Capitão Wagner: 12,8%
Luizianne Lins: 5,7%
Sarto: 4,6%
Heitor Férrer: 2,0%
Renato Roseno: 1,4%
Célio Studart: 0,9%
Heitor Freire: 0,8%
Outros nomes citados: 1,6%

ESTIMULADA (são apresentados nomes dos candidatos aos entrevistados)

Não sabe/não respondeu: 5,7%
Nenhum/Ninguém/Branco/Nulo: 13,9%
Capitão Wagner: 35,0%
Luizianne Lins: 14,9%
Sarto: 10,1
Heitor Férrer: 7,3%
Renato Roseno: 4,7%
Célio Studart: 4,5%
Heitor Freire: 2,2
Anízio: 0,5%
Samuel Braga: 0,5%
Paula Colares: 0,4%
José Loureto: 0,3%

Os índices apresentam, nitidamente, que há três categorias na disputa:

Os concorrentes de elite – Capitão Wagner (Pros), Luizianne Lins (PT) e José Sarto (PDT), de onde deverá sair o próximo prefeito.

O segundo escalão – Férrer (PDT), Roseno (Psol) Studart (PV) e Freire (PSL) – construirão um bom recall para as próximas eleições.

Os figurantes – Anízio, Samuel, Paula e Loureto – como o nome diz, vão figurar.

Hoje, estariam no segundo turno Capitão e Luizianne.

Mas hoje é hoje. O primeiro turno está marcado para daqui a 33 dias.

Forram entrevistados 740 eleitores, entre os dias 9 e 11 de outubro.

A pesquisa foi registrada no TSE sob o número CE-07388/2020.

Roberto Cláudio tem 45,2% de “bom” e “ótimo”, e 33,5% de “ruim” e “péssimo”

Prefeito foi eleito em 2012 e reeleito em 2016 / Facebook

A dois meses e meio de passar a faixa a seu sucessor, a ser eleito em novembro próximo, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), é avaliado como “bom” e “ótimo” por 45,2% dos eleitores da Capital.

Os dados são de pesquisa do Instituto Paraná, divulgada nesta segunda/12.

No levantamento, que também trouxe dados sobre a intenção de voto para prefeito, RC é considerado “bom” para 30,7% e “ótimo” para outros 14,5%.

Para 33,5%, Roberto Cláudio tem desempenho “regular”. Já para 19,3%, o prefeito é “ruim” (5,4%) ou “péssimo” (13,9%).

Forram entrevistados 740 eleitores, entre os dias 9 e 11 de outubro. Eles responderam à seguinte pergunta:

“A administração do Prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, está sendo ótima, boa, regular, ruim ou péssima?”

A pesquisa foi registrada no TSE sob o número CE-07388/2020.