Encontro Bivar-Wagner e o controle do União Brasil no Ceará

Da coluna Erivaldo Carvalho, do jornal O Otimista, desta segunda/6:

Presidente nacional do PSL é próximo do grupo de Capitão Wagner / Câmara dos Deputados/Divulgação

Setores da política cearense passaram o final de semana sob a expectativa de um encontro político, marcado para esta segunda-feira, em Fortaleza. Com detalhes dirigidos somente a convidados, a reunião-almoço deve colocar à mesma mesa o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, e o pré-candidato ao Governo do Estado, deputado federal Capitão Wagner. Como se sabe, PSL e DEM já decidiram se tornar um único partido, o União Brasil. Aguardam oficialização da Justiça Eleitoral. Também é sabido que há uma forte queda de braço, aqui e alhures, pelo comando do UB no Ceará. O grupo será o maior e mais endinheirado bloco parlamentar do Congresso Nacional.

Política é feita de simbolismo. Convidar o presidente do PSL, hoje visto com peso decisivo para definir o controlador do União Brasil no Estado, é um trunfo para Wagner. O pré-candidato ao Abolição, hoje filiado ao Pros, é um dos nomes mais fortes para assumir a presidência do partido. É razoável supor que antes, durante e depois do encontro de hoje, novos passos serão dados nessa direção. O clima entre o deputado federal e o dirigente máximo do PSL está, no mínimo, amistoso. Porque a ida do opositor para o comando do União Brasil é importante? Simples. Será (ou seria) a principal aquisição partidária do grupo que busca musculatura para a disputa no ano que vem.

Ausências serão sentidas
A lista dos convidados para o encontro-almoço de hoje, entre Bivar e Wagner, circula em poucas mãos. Mas, até mesmo pelo bom-mocismo que a política permite, fora das altas temperaturas das campanhas eleitorais, propriamente, é possível que mesmos adversários internos do deputado federal tenham sido relacionados. O mais ilustre deles, o senador Chiquinho Feitosa. Até mesmo por este ser o presidente do DEM no Estado. A presença ou ausência albergará variadas interpretações – sempre movidas e vinculadas aos interesses e estratégias de cada um.

Fator ACM Neto
Habilidoso, o senador Chiquinho Feitosa circula bem em Brasília, com passe livre em vários grupos políticos e cúpulas partidárias. Inclusive e principalmente, no DEM, controlado, nacionalmente, pelo ex-prefeito de Salvador, ACM Neto. O senador em exercício conta, ainda, com a força dos Ferreira Gomes, que gostariam que o União Brasil ficasse, no Ceará, com o tradicional aliado.

De olho nas bancadas
A negociação sobre o controle do União Brasil no Ceará envolve muitos outros fatores. Vai do alinhamento político em palanques nacionais e regionais ao potencial eleitoral para a disputa à Câmara Federal. Quantos federais cada grupo que cobiça o comando aposta que elegerá? Esse é o ponto, do qual nenhum partido, inclusive o futuro União Brasil, tira os olhos.