Vai disputar mandato parlamentar ou trabalhar na campanha? Anote!

Vá direto ao ponto, seja claro e fuja dos bajuladores / Divulgação

Alguns políticos buscaram este escriba, sobre aspectos gerais da linguagem a ser adotada em uma campanha eleitoral. Vamos, portanto, a alguns aspectos: 1) temas locais: embora estejamos à beira de uma campanha em que questões ideológicas nacionais devam prevalecer, o candidato competitivo deve focar nos seu objetivo principal. O resto é bobagem e perda de tempo. Portanto, reduza o peso da briga, para compensar com falas sobre temas cearenses, municipais e locais. 2) linguagem: não adianta ser, tecnicamente, perfeito, se não conseguir deixar a mensagem simples para seu público. Diminua o tecnicismo e minimize os jargões. Fale com propriedade e mostre que domina a pauta.

Vá direto ao ponto: com informação rápida, agilidade em conteúdos é diferença entre vender o peixe e embromação. Não existe assunto tão complexo que não se consiga entrar no mérito com duas ou três frases curtas. Pare de ficar rodando o quarteirão, fingindo que não viu a vaga para estacionar. De maneira geral, políticos falam demais. Diferenças: diga o que o eleitor quer ouvir, simplifique a linguagem e vá direto ao ponto. Evite mais do mesmo. É possível, mesmo em assuntos de domínio público, repisado por outros candidatos, ser original na abordagem. Sempre há um olhar ou um viés ainda não explorado. É possível estabelecer diferenças.

Mando de campo
A atividade parlamentar divide-se entre questões genéricas, onde todos metem a colher, e temas de domínio restrito, sobre os quais poucos têm a habilidade e força de trabalho para tocar o debate, encaminhar e fazer acontecer. Não dá para abraçar o mundo com as pernas. Ser “dono” de bandeiras dá mais visibilidade do que se especializar em generalidades. Polêmicas: há apelos para embates. Polarização gera audiência nas redes, mas também atrai hates e perseguição. Herói é o cara que não teve tempo de correr. Fora isso, é puro ego. Tio, fuja dos bajuladores!

Mantras e clichês
Eleição é escolha de temas e bandeiras. Por isso, junto a falas, postagens e entrevistas em geral, insira palavras e expressões-chave, que buscam sintetizar a ideia geral do que você pensa sobre o assunto em questão. Frases curtas e de efeito são as melhores, as preferidas da imprensa e do público em geral e a base para a construção da reputação pública e política.

Venda o futuro
Em tese, candidatos são eleitos para cuidar dos problemas coletivos alheios. Portanto, é delegado aos próprios o papel de apontar caminhos e soluções. Trata-se, portanto, de um líder. E ninguém conseguirá liderar se não passar a mensagem de que hoje está sendo melhor do que ontem e amanhã será melhor do que hoje. Aponte para o futuro. Venda esperança. Faça-os acreditar. Colha os frutos.

Sobre representação parlamentar do setor produtivo

É fácil identificar os que estão acima da média, em setores estratégicos / Divulgação

Fenômeno bastante comum, os setores corporativos observam a cena pública, mais detidamente, neste período que antecede a definição dos cenários políticos e eleitorais. Não que já não o façam, no dia a dia. Mas, especialmente, à medida que se aproximam a definição de palanques, no caso de candidaturas majoritárias, e listas de nomes, quando se trata de corrida aos parlamentos. Além de legítimo, faz parte de qualquer grande negócio a interação com o poder instituído, propriamente. Esse movimento já é visível, inclusive sendo essa uma dinâmica de mão dupla. Este ano está indo embora. É hora de planejar 2022. Sobretudo, para os que buscam bons representantes.

Chama a atenção, porém, a quantidade de homens de negócio que admitem entrar na briga por voto para chegar à Assembleia Legislativa ou Câmara dos Deputados. Duas observações. Primeira: sempre muitos se dizem dispostos a encarar a corrida eleitoral, mas não raramente recuam, por motivos vários, que não vêm ao caso. Segunda questão: no caso específico da bancada de deputados federais cearenses, há muitos bons exemplos de parlamentares que honram o mandato. Não citaremos nenhum deles. Mas, é fácil identificar os que estão acima da média, em setores estratégicos para o desenvolvimento do Estado, independentemente de questões partidárias.