União Brasil: prós e contras da fusão DEM-PSL

Da Coluna Erivaldo Carvalho, do jornal O Otimista, desta quarta/6:

Partido nascerá como maior bloco parlamentar da Câmara, mas isso não é tudo / PSL/Divulgação

Eis que temos o já considerado maior bloco político da Câmara dos Deputados, em vias de virar partido, quando for oficializado pela Justiça Eleitoral. Algumas considerações – primeiramente, as positivas: a fusão entre DEM e PSL mostra, grosso modo, que as duas siglas tinham mais convergências do que divergências; a futura agremiação abrigará muitos dos mais importantes personagens da atual política brasileira – com opções presidenciáveis, inclusive; há um projeto de poder, nacional e regional, mais ou menos definido na cúpula do grupo; pelo tamanho, terá dinheiro a rodo para bancar candidaturas e o nome “União Brasil” é um presente para os marqueteiros.

Mas há alguns senões. A mera exibição de uma grande bancada fará do agrupamento um grande partido? O que a sigla apresenta para os principais gargalos do País? Há, efetivamente, um pensamento e um projeto de desenvolvimento nacional? Já tivemos várias bancadas gigantescas no Congresso que não passaram disso. Nunca chegaram ao Palácio do Planalto. Outra: o gigantismo arreganhou os olhos e os bolsos de muita gente. A disputa por controle regional, já em curso, pode atrapalhar, inclusive. Finalmente: há vários nomes à sucessão presidencial? Então é porque não há “o” nome. Assim, qual será a estratégia para tentar quebrar a polarização Bolsonaro-Lula?

Diferencial na região

BNB é principal instituição financeira com sede na região / BNB/Divulgação


A semana foi marcada pela mudança no comando do Banco do Nordeste, a mais importante instituição financeira sediada na região – mais precisamente, em Fortaleza. Para dizer pouco, somente no primeiro semestre de 2020, foram mais de R$ 20 bilhões em investimentos. Que siga assim, sendo diferencial desenvolvimentista em uma das regiões mais pobres do País.

Em defesa da instituição
O BNB é uma das jóias da coroa do Governo Federal no Nordeste. Por isso, para a instituição voltam-se muitos olhares. Entretanto, independentemente de pontuais barulhos, o banco deve ser defendido, pela história e seriedade, como fez o deputado federal Danilo Forte (PSDB), em pronunciamentos na Câmara dos Deputados, para quem “resultados não têm ideologia”. Correto.

Quem vai unir PT-PDT no Ceará?

Manter a aliança é um dos principais desafios dos governistas / Reprodução


Quando quase tudo parecia encaminhado – o candidato governista sairia do PDT e Camilo Santana (PT) disputaria o Senado – eis que foi retomado com força o debate interno no PT sobre candidatura própria ao Governo do Estado. Por que isso pode ser um divisor em todo o tabuleiro de 2022 no Estado? Simples. Para bater o martelo sobre o candidato ao Executivo, a cúpula do grupo abrigado no Abolição terá de considerar a capacidade do ungido em manter o PT de Lula na base do PDT de Ciro Gomes. Anote: quem tiver esse perfil poderá ser a cabeça de chapa do condomínio.

Sobre árvores e pessoas

Cena do Parque do Cocó, em Fortaleza / Ascom/SEMA

Lendo por aí sobre árvore, neste 21 de setembro, vi que espécies que vivem mais, em regra têm crescimento mais lento.

No sentido inverso, as que crescem muito rapidamente, tendem a ter um ciclo de vida mais curto.

Também descobri que a vida plena de uma árvore tem relação direta com seu ecossistema.

Árvores longevas, frondosas e saudáveis sempre têm outras formas de vida em sua volta.

Árvores firmes, de raízes profundas, coabitam com outras plantas em seu entorno e em suas copas aves fazem ninho.

E não é rara a presença de insetos.

Que tipo de árvore é você?

Semântica e linguagem na política

Palavras e expressões são proferidas de acordo com interesses / Reprodução

A política tem um jeito cabreiro de não chamar as coisas pelo nome certo. Com uma versão pálida, do ponto de vista semântico, costuma esvaziar o impacto e o peso de certas palavras ou expressões – muito, geralmente, com a premeditação e para o benefício de quem as usa. Particularmente, se for para amenizar desgastes. É difícil um dia em que não nos deparemos com algumas delas. Eis uns exemplos, que preenchem o noticiário no entorno de raposas felpudas na disputa pelo poder: “privatizar” pode ser adotado, desde que seja para se referir a adversários. Se for o governo que apoia e defende, será um “programa de concessão” ou, esticando, de “desestatização”.

Erros contábeis e financeiros em balancetes e relatórios, para aliados, não existem. Provavelmente, foram “atecnias”. Em confronto de ideias, ninguém contraria ninguém. Quem pensa diferente insiste nas “ponderações”. Quando se fala em “regulamentar”, na prática significa controlar – geralmente a partir de uma agência, comissão ou conselho, com nome bonito terminando em “social” ou “cidadania”. Por esse raciocínio, dependendo do interesse da informação, botijão de gás não explode. No máximo, vaza. A lista é longa, assim como são imensas as tentativas e intenções de fazer valer as pretensões de quem as usa – via de regra, empulhando incautos.

O canteiro de obras camilistas
Não havendo um movimento brusco nos planos e articulações dos governistas no Ceará, a tendência será o governador Camilo Santana (PT) deixar o governo no início de abril do ano que vem, com vistas à candidatura ao Senado. Isso significa que, até lá, poderemos ficar diante de uma corrida contra o tempo, para a inauguração de obras públicas – pequenas, médias e grandes – atualmente em andamento. Não será surpresa, inclusive, por isso ser uma espécie de mantra em anos eleitorais. O Orçamento do Estado de 2022 deve, portanto, apontar nesse sentido.

Para onde vai Eunício Oliveira
O ex-senador Eunício Oliveira (MDB) esteve com Lula e, ato contínuo, com petistas cearenses. A pergunta é: para onde vai o experiente emedebista? Para uma corrida majoritária, sacrificando-se, diante das parcas chances de chegar lá? Nesse caso, ele garantiria palanque ao petista no Estado e, dando certo, aguardaria a composição da Esplanada dos Ministérios.

Planos B e C
Eunício também pode buscar uma vaga de deputado federal, algo plausível, mas distante das pretensões de quem já presidiu um dos Poderes da República. Uma terceira vertente cogita uma aliança política do MDB com o futuro PSL do Capitão Wagner. Nessa hipótese, o MDB indicaria o nome a vice no principal palanque da oposição no Estado. A conferir.

Economia é parceria

Deputado federal pelo PDT, licenciado do mandato, Mauro Filho é titular do Planejamento e Gestão do Ceará

Em recente evento “Trends Experience” para empresários, realizado em Fortaleza, Mauro Benevides Filho, secretário estadual de Planejamento e Gestão, destacou a parceria com o setor privado para o desenvolvimento regional. “Geramos mais empregos quando nos desenvolvemos economicamente com a gestão do governo. É consequência, na verdade. Isso, o Ceará tem, além de outros pontos, inspirado no resto da nação”, ressaltou.

Qual o lugar do Brasil no negócio do clima?

Evento foi tentativa de firmar novo pacto ecoambiental no planeta

No maior evento do tipo dos últimos tempos, o poder decisório do mundo – a quase totalidade do PIB mundial -, reuniu-se, remotamente, na Cúpula do Clima, para debater e alinhar mecanismos de contenção da devastação ecoambiental. No centro da discussão esteve, para além da preservação da vida humana no planeta, o modelo de desenvolvimento econômico e social. Leia-se a busca de uma nova matriz energética, sobre a qual negócios, tradicionais ou disruptivos, terão de se assentar. Não se trata de opção ou alternativa benevolente ou humanitária de líderes ao redor do globo, abraçadores de árvores. Trata-se de uma conta que há décadas não fecha.

Para além de protocolos de intenção e discursos politicamente corretos, alguns para inglês ver – a exemplo do proferido pelo presidente Jair Bolsonaro -, há fortes sinalizações de mudanças concretas. Exemplo: a partir de 2030, países europeus deixarão de fabricar automóveis com tração baseada na combustão fóssil, assim como escalar plantas de energia limpa, tipo eólica e solar, já é realidade. Diante disso, pergunta-se: que lugar a essa mesa cabe ao Brasil? Como parte da resposta, é importante considerar que somente preservar a Amazônia é insuficiente. Grande parte do modelo precisa ser repensado, sob pena de ficarmos presos à máxima “fazendas lá, florestas aqui”.

Atividades essenciais e vacinação
É cada vez maior a pressão para que mais segmentos econômicos e categorias socioprofissionais entrem na lista de flexibilização dos decretos de isolamento social rígido ou no Programa Nacional de Imunização. Em nível federal, o deputado Pedro Bezerra (PTB) quer incluir entregadores de delivery e motoristas de transporte público entre as atividades essenciais. Por aqui, o Sindicato das Autoescolas defende que os instrutores de trânsito, considerados pela entidade como profissionais da educação, sejam contemplados na fase 4 da vacinação.

Sinal dos tempos eleitorais
A Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Ceará (OAB-CE) aprovou a regularização de anuidade sem multas e juros. Além disso, faz expediente junto à cúpula nacional da entidade para reduzir o valor. A proposta é da lavra do presidente Erinaldo Dantas, que deve disputar mais um mandato à frente da instituição. Data maxima venia, mas é jogo jogado.

Memória e história política
O Memorial da Assembleia do Estado do Ceará (Malce), na pessoa do seu presidente, Osmar Diógenes, está junto com equipe, em fase de elaboração de mais um livro. A obra será o resultado de uma criteriosa pesquisa sobre a memória política do Ceará, com foco no Poder Legislativo, dissecando fatos relevantes da nossa história, desde o Período Imperial.

TrendsCE realiza webinário com Hitendra Patel, consultor referência em inovação

Evento será transmitido pelo Youtube

Logo mais às 19h desta quinta/15, a plataforma TrendsCE promove webinário com o consultor Hitendra Patel, com o tema “Soluções além de 2m de distância”.

Patel é CEO e fundador da empresa de consultoria IXL Center.

Presente em 12 países, a IXL Center é referência mundial para inovação e crescimento de negócios.

São mais de 200 clientes globais atendidos, a exemplo da NASA, Disney, P&G, Natura e Havaianas, além de governos, ONG’s e universidades.

No Ceará, a consultoria vem desenvolvendo edições do Programa 10X, criado para acelerar o crescimento de empresas locais.

O webinário será transmitido pelo Youtube.

Roberto Cláudio tem 45,2% de “bom” e “ótimo”, e 33,5% de “ruim” e “péssimo”

Prefeito foi eleito em 2012 e reeleito em 2016 / Facebook

A dois meses e meio de passar a faixa a seu sucessor, a ser eleito em novembro próximo, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), é avaliado como “bom” e “ótimo” por 45,2% dos eleitores da Capital.

Os dados são de pesquisa do Instituto Paraná, divulgada nesta segunda/12.

No levantamento, que também trouxe dados sobre a intenção de voto para prefeito, RC é considerado “bom” para 30,7% e “ótimo” para outros 14,5%.

Para 33,5%, Roberto Cláudio tem desempenho “regular”. Já para 19,3%, o prefeito é “ruim” (5,4%) ou “péssimo” (13,9%).

Forram entrevistados 740 eleitores, entre os dias 9 e 11 de outubro. Eles responderam à seguinte pergunta:

“A administração do Prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, está sendo ótima, boa, regular, ruim ou péssima?”

A pesquisa foi registrada no TSE sob o número CE-07388/2020.

Parceria Instituto Brasil África e SouthBridge Group vai aproximar empresários brasileiros de mercado africano

João Bosco Monte, presidente do Ibraf: possibilidades de negócios a curto, médio e longo prazos

Aproximação, conexão e investimentos. Esse é o tripé dos negócios sustentados. Particularmente, num ecossistema que, por conta do isolamento social forçado, acelerou o uso das ferramentas de longo alcance.

No epicentro dessa nova dinâmica, estão organizações como o Instituto Brasil África (Ibraf), que promove engajamento entre o Brasil e o continente africano, visando ao desenvolvimento econômico, nos governos e mercados privados.

A expertise do instituto acaba de gerar mais um produto: um acordo de colaboração com o grupo pan-africano SouthBridge, organização de consultoria e soluções financeiras para os setores públicos e privados na África.

Com o entendimento, as organizações criarão uma plataforma que tornará mais fácil a aproximação de empresários brasileiros com as vastas oportunidades de investimentos disponíveis no continente africano.

A parceria foi firmada pelo professor João Bosco Monte, presidente do IBRAF, e Andrew Alli, CEO do SouthBridge Group.

Segundo Bosco Monte, a parceria entre o IBRAF e o SouthBridge Group vai favorecer análises sobre as principais possibilidades de negócios que existem a curto, médio e longo prazos no continente africano – e sobre quais setores brasileiros podem aproveitá-las.

O Acordo entre o IBRAF e o SouthBridge Group vem também para reforçar o Fórum Brasil África 2020 como um dos principais ambientes de negócios para parcerias entre as duas regiões.

O evento contará com a presença de grandes players dos dois mercados e oportunidades de encontros estratégicos com investidores.

O BAF 2020 realiza-se nos dias 3 e 4 de novembro em edição online. O tema será “Superando os desafios da pandemia: o que vem a seguir?”. O registro, gratuito, já está aberto.

Sobre o Instituto Brasil África
Organização sem fins lucrativos que visa promover a cooperação internacional e o engajamento entre o Brasil e o continente africano, defendendo o desenvolvimento econômico dos países, a convergência dos interesses do setor privado e a valorização das relações multilaterais.

Sobre o SouthBridge Group
Grupo pan-africano que fornece soluções financeiras e serviços de consultoria para clientes públicos e privados em todo o continente africano. Tem uma sólida reputação na estruturação de fundos, consultoria e reestruturação de dívidas, bem como no financiamento de projetos.