Sobre reaproximação e incertezas políticas

Na reta final de mandato, senador admite não disputar cadeira no Congresso Nacional, no ano que vem / Agência Senado

Eles não se falam desde 2018. À época, discutiram sobre os rumos da então campanha eleitoral para o Governo do Estado.

Três anos depois, o senador Tasso Jereissati e o deputado federal Danilo Forte (ambos do PSDB), ainda distantes, pessoalmente, mantêm pontes na política.

Em ofício datado desta quarta-feira (15), ao presidente nacional da sigla, Bruno Araújo, Danilo assina um termo de “apoiamento” para Tasso participar das prévias, com vistas à sucessão presidencial de 2022.

O procedimento é previsto no regimento do partido, para situações internas da sigla, como candidaturas a postos de direção.

Ao Blog, Danilo faz robustos elogios ao senador. Para o deputado, uma eventual candidatura do ex-governador colocaria o Estado na pauta nacional.

Tasso já esteve mais animado a participar do pleito do ano que vem. Na reta final do mandato, ele admite não disputar outro período de oito anos em Brasília.

Nos próximos dias, o senador deverá comunicar à direção da legenda se mantém a pré-candidatura ao Planalto.

Estão no páreo os governadores João Doria (São Paulo) e Eduardo Leite (Rio Grande do Sul)

O futuro político de Tasso, portanto, segue incerto.

Mas vale o gesto de apoio presidencial.

Particularmente, de Danilo, único deputado federal tucano, prestes a bater asas do ninho tucano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.