São Paulo: o vácuo petista ocupado pelo Psol

Com tantas variáveis em questão e o histórico de imprevisibilidade eleitoral, é cedo para se projetar o tamanho do avanço que a esquerda, personalizada no Psol de Guilherme Boulos, terá na cidade de São Paulo. Mas, uma certeza, pelo menos, já está posta: o pequeno notável partido já é um dos vitoriosos neste 2020, em visibilidade – independentemente do que as urnas paulistanas revelem, neste domingo. O Psol está ocupando o vácuo deixado pela narrativa envelhecida do PT que, preso ao passado, não consegue projetar o próprio futuro.