Auxílio emergencial muda governo Bolsonaro de patamar e deve impactar eleições

Da Coluna Erivaldo Carvalho, do jornal O Otimista, desta segunda/24:

Presidente da República melhorou imagem, segundo o Datafolha, ao nível de início de mandato

O Planalto prepara, esta semana, uma grande cerimônia. Previsto para esta terça-feira (25), o evento pretende anunciar medidas de recuperação da economia nacional. O ponto alto deverá ser a prorrogação do auxílio emergencial, até dezembro deste ano. Anotem: esse ato político poderá ser a consolidação da virada de imagem de Jair Bolsonaro Brasil afora, com impactos diretos na disputa por prefeituras e câmaras municipais – inclusive em Fortaleza, na sucessão do prefeito Roberto Cláudio (PDT).

O ato acontecerá poucos dias depois de o terceiro andar do Palácio correr para o abraço, com pelo menos duas notícias alvissareiras, anunciadas pelo prestigiado Datafolha: a recuperação da imagem do inquilino mor – equivalente ou melhor em relação ao início do mandato -, e a desvinculação da imagem do presidente das dezenas de milhares de mortes provocadas pela Covid-19.

O que tudo isso tem a ver com a disputa eleitoral em Fortaleza? Tudo. A força do bolsonarismo ou antibolsonarismo – duas das principais variáveis deste atípico 2020 -, será proporcional ao agregado eleitoral – ou repelência -, de Jair Bolsonaro. O raciocínio é simples: com o governo e o desempenho pessoal bem avaliados, o presidente será um dos maiores – se não o maior -, cabo eleitoral de novembro próximo.

TrendsCE: Bruno Girão, da Betânia Lácteos, participa da série “O sucesso das empresas familiares no Ceará”


A série “O sucesso das empresas familiares no Ceará: um potencial de bons investimentos” segue nesta terça/11, com Bruno Girão, CEO da Betânia Lácteos, marca cearense líder do setor no Nordeste.

Realizado pela TrendsCE, plataforma especializada em conteúdos de negócio do Estado, o webinar, segundo da série, começa às 20h.

Transmitido pelas plataformas digitais da TrendsCE, o diálogo será mediado por Eduardo Gomes de Matos, sócio e chairman da Gomes de Matos Consultores Associados.

A iniciativa objetiva compartilhar modelos de empresas familiares que foram implementados, gerando cases de sucesso no Estado.

De acordo com a assessoria de imprensa da plataforma, além de Bruno Girão, estarão entre os convidados Ticiana Rolim, Ari de Sá Neto e Jorge Pinheiro.

Confira programação:
11/08: Convidado Bruno Girão (CEO da Betânia Lácteos)
19/08: Convidada Ticiana Rolim (diretora de Gente e Impacto Social da C. Rolim Engenharia)
25/08: Convidado Ari de Sá Neto (fundador e CEO da Arco Educação)
31/08: Convidado Jorge Pinheiro (presidente do Hapvida)

A decisão de Camilo

Muito bem reeleito, governador tem avaliação positiva no enfrentamento da crise pandêmcia

A decisão de Camilo Santana em brecar o esperado retorno de aulas presenciais, bares, cinemas, shows, espetáculos e academias, na 4ª fase de reabertura econômica, tem base técnica.

Atividades que causam aglomeração – atual inimigo público número um da saúde, em todo o mundo -, foi o risco calculado, que serviu de base para o anúncio.

Admita-se, a situação é frustrante para empresários dos setores, desaponta o público frequentador desses ambientes e não é confortável para o próprio governador.

Mas foi o que apontou o comitê que monitora a situação da pandemia no Ceará.

Dito isso, algumas considerações, para além da esdrúxula dicotomia vida-economia.

1 – Camilo afirma que a decisão é baseada no que dizem os especialistas – apesar de a posição final ser dele. Ou seja, o governador divide com o comitê o ônus da decisão.

2 – Bem avaliado até aqui, o governo Camilo vem se desdobrando no enfrentamento da pandemia, com ações efetivas e responsáveis. Essa imagem blinda decisões amargas.

3 – Reeleito com quase 80% dos votos há menos de dois anos, o governador tem um colchão super king size de aprovação popular. Isso amortece eventuais desgastes.

Diante de tais escudos, empresários pressionam, estrebucham e anunciam o fim do mundo. É compreensível.

Mas há pouco a fazer. Resta esperar e torcer que os próximos boletins da Covid-19, que já matou mais de 7 mil no Estado, tragam melhores notícias.

Focada em conteúdos de negócio e investimentos, nasce a TrendsCE

Plataforma promete ser hub de informação no Ceará

Conteúdos estratégicos, que conectarão oportunidades de negócio e investimentos. Com essa proposta, será lançada nesta quarta/8, a TrendsCE. Multiplataforma, o conceito reúne análises, cenários, tendências de mercado e mineração de dados.

Para marcar o momento, haverá o debate “Retomada do Crescimento Econômico e Políticas de Desenvolvimento Regional”. Mediado pela jornalista Mara Luquet, o evento começa às 19h. Será transmitido pelo Youtube.

Vice-presidente Nordeste da Federação Brasileira de Câmaras de Comércio Exterior, o advogado Rômulo Alexandre Soares comentou para o Blog do Erivaldo Carvalho a importância de instrumentos como a TrendsCE.

“É vital a criação de espaços de difusão de conteúdo qualificado, que tratem de forma refinada a realidade como ela é”, declarou.

Operador jurídico com experiência em atração de investimento estrangeiro, Soares será um dos analistas da plataforma. “Tenho confiança que a TrendsCE ocupará uma posição de destaque nesse contexto”.

A plataforma nasce com a expectativa de ser um hub de informação no Ceará.

Em Fortaleza, particularmente, a TrendsCE chega num momento em que a Capital consolida arranjos institucionais, como a Fortaleza Competitiva, e Fecomércio e Fiec vivem expectativas de retomada da economia.

O prefeito Roberto Cláudio e os presidentes Maurício Filizola (Fecomércio) e Ricardo Cavalcante (Fiec) participarão do debate de lançamento da TrendsCE.

Também estarão na discussão o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues Júnior, e o diretor de Administração e Finanças do Sebrae nacional, Eduardo Diogo.

CEO do empreendimento, Marcos André Borges destaca que a TrendsCE foi concebida antes da pandemia, com genética digital. Isso quer dizer, reforça, que a plataforma nasce conectada com o novo normal.

“A TrendsCE é uma célula viva, antenada com todas as tendências de negócio que estão acontecendo no mercado global, nacional, regional e local”, afirma.

.

SERVIÇO
Lançamento da TrendsCE
Debate: Retomada do Crescimento Econômico e Políticas de Desenvolvimento Regional.
Mediação: Mara Luquet
Data: 8/7, às 19h
Transmissão: YouTube https://bit.ly/2NFhy3I

A dor e a queda do “feiticeiro”

Wizard sofreu, na internet, movimentos de boicote Fabiano Accorsi/Divulgação

Carlos Wizard, o “feiticeiro”, não é mais conselheiro do ministério da Saúde, onde assumiria a secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Neste final de semana, o empresário defendeu a recontagem de mortos pela Covid-19.

O agora ex-conselheiro chegou a afirmar que secretarias estaduais da saúde estariam inflacionando números de óbitos em busca de mais orçamento do governo federal.

Com fortes e imediatas reações, a situação de Wizard ficou insustentável.

O Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (CONASS), por exemplo, acusou o empresário de “tentativa autoritária, insensível, desumana e antiética de dar invisibilidade aos mortos pela Covid-19”.

No Ceará, um dos cenários mais dramáticos na guerra contra o coronavírus, uma nota de repúdio, alinhada ao CONASS, reuniu mais de 180 médicos.

Sérgio Pessoa, da Associação Cearense de Gastroenterologia (ACG), um dos organizadores do abaixo-assinado, chamou a atenção para a falta de transparência e o obscurantismo do governo Bolsonaro.

Esse é o ponto. Em meio a uma montanha de cadáveres, o ministério da Saúde está sendo acusado de sonegar e omitir informações. Se confirmada, a prática pode caracterizar crime.

Além da gravidade em si da suposta manipulação de dados, é inadmissível que se insira no cenário já muito tenso, politicamente, a discussão entre número de mortos e repasses financeiros a estados.

Bilionário, Carlos Wizard é do tempo em que empresário só entendia de ganhar dinheiro.

Fiel a este princípio, o “feiticeiro” deixou o ministério após surgirem na internet movimentos de boicotes a marcas ligadas a ele.

Diz a máxima de que “o bolso é o órgão do corpo humano mais sensível à dor”. Wizard não é médico, mas entendeu rapidinho que a situação tinha ficado dolorosa demais para ele.